leia

4 coisas que você não sabia sobre psicopedagogia clínica e empresarial

Por Alessandra Mello

Nos últimos anos, a psicopedagogia clínica e empresarial se consolidou como um dos elementos fundamentais da estrutura de apoio ao sistema educacional. Afinal, é a carreira que forma profissionais responsáveis por auxiliar no processo de aprendizagem, descobrindo os obstáculos dos alunos e traçando estratégias para superá-los.

De vital importância não só para os sistemas de ensino público e privado, a psicopedagogia também tem lugar de destaque nas empresas, especialmente em setores de treinamento e desenvolvimento.

Mesmo com tamanha relevância, ainda existem alguns mitos e curiosidades que nem todo mundo da área conhece, e é justamente sobre eles que vamos falar hoje. Confira se você já sabia essas informações!

aprendizado

1. Existem etapas críticas no processo de aprendizagem

Muitos de nós já ouviram falar que se a criança não aprender determinado conhecimento até certa idade terá dificuldades para absorver esse conhecimento.

É o caso, por exemplo, do ensino de um segundo idioma. Muitas escolas defendem que se não for desde a pré-escola, o jovem ou adulto não conseguirá aprender o idioma com tanta facilidade.

Essa teoria nasceu a partir de experimentos com animais e caiu por terra com pesquisas posteriores sobre neurociência e a forma com que o cérebro aprende. Os mesmos estudos indicam que a forma de estímulo, entre outros fatores, é determinante para o aprendizado, e não a idade em si.

2. Lado esquerdo X lado direito do cérebro

Outro tema bastante discutido é que as pessoas que usam mais o lado esquerdo do cérebro têm mais facilidade com o raciocínio lógico, enquanto as que usam o lado direito têm maior aptidão para as artes.

Esse conceito ainda é bastante utilizado hoje, especialmente quando usamos a psicopedagogia clínica e empresarial para realizar testes vocacionais.

Entretanto, estudos da OCDE divulgados no livro Compreendendo o Cérebro trazem dados interessantes a este respeito, informando que, durante a leitura, ambos hemisférios do cérebro trabalham de forma semelhante e coordenada.

3. Psicopedagogo e psicólogo são a mesma coisa?

Para quem não conhece as duas áreas em detalhes, pode parecer que Psicologia e Psicopedagogia Clínica e Empresarial são a mesma coisa ou muito semelhantes. Mas existem diferenças que devem ser destacadas.

O papel do psicopedagogo é orientar o processo de ensino-aprendizagem de forma que os alunos, sejam crianças ou adultos, tenham um desenvolvimento pleno.

O psicólogo, por sua vez, tem uma atuação mais ampla, que pode ir desde a orientação quanto ao emocional das pessoas até o tratamento de distúrbios mentais.

Ambos profissionais são extremamente importantes tanto no setor educacional quanto em empresas, portanto, não há motivos para rivalidades.

4. O ser humano usa apenas 10% da sua capacidade cerebral

Esse é outro mito que surgiu não se sabe exatamente de onde e permeou a área de Psicopedagogia Clínica e Empresarial por muito tempo, mas que já foi desmistificado também.

Estudos neurocientíficos já comprovaram que não existem áreas inativas no cérebro, isto é, não usadas. Além disso, equipamentos médicos, como os de ressonância magnética, também podem comprovar o uso da totalidade da capacidade cerebral.

O que ainda podemos explorar é a capacidade do ser humano em absorver informação. Isso sim pode ser um diferencial entre pessoas, mas está sob influência de diversos fatores, como métodos de ensino-aprendizagem, ambiente no qual a pessoa está inserida e habilidades sociocognitivas.

Interessante, não é? Aproveite e conheça melhor a Pós-graduação em Psicopedagogia Clínica e Empresarial da Católica EAD baixando o e-book do curso!

Leia também: Planejamento e Gestão Educacional: a opção para destacar-se no mercado

Tags: Psicopedagogia Clínica e Empresarial

Receba os melhores conteúdos no seu e-mail!